no comments

Cenário político do país é debatido na Câmara de Vereadores

Cenário político do país é debatido na Câmara de Vereadores

 

Os vereadores, no uso da palavra, durante a sessão ordinária desta terça-feira (29), manifestaram apoio ao movimento grevista dos caminhoneiros e lamentaram a situação política do país.

Arlindo Rincos (PSD), ao parabenizar o movimento fez menção também ao cenário político atual com tantas notícias e escândalos envolvendo corrupção dos políticos. “Os caminhoneiros estão bloqueando, estão fechando porque eles não aceitam mais pagar tanto imposto”, frisou Rincos.

Ademar Braz Winter (PSDB) afirmou que esteve em dois bloqueios dos caminhoneiros durante a semana e todos pediram a presença dos políticos locais. Winter criticou ainda o preço elevado do óleo diesel, praticado em alguns postos do município. “Os donos (dos postos), não respeitam e cobram mais”, lamentou. “O povo está dando um basta neste tipo de política e nós devemos também dar exemplo aqui”, completou Rincos.

“Temos que alertar a população para que não votem em políticos corruptos, ficha suja”, comentou o vereador Jaime Negherbon (MDB).

Marcelindo Carlos Gruner (PTB), também falou sobre a situação política atual do Brasil. Disse que o país precisa de uma intervenção militar. “Não é regime militar, é um interventor que consiga fazer com que as coisas funcionem, que os corruptos sejam punidos e fiquem fora definitivamente da vida pública”, disse.

Usando a tribuna, Gruner acrescentou ainda que o movimento iniciado pelos caminhoneiros deveria ser feito por todos os cidadãos brasileiros. “Só que devemos saber protestar. Nós temos muito o que aprender. O ato de protestar é o mais digno do ser humano, é onde demostramos que não estamos satisfeitos com a situação”.

Finalizando as falas, o líder de Governo Pedro Garcia (MDB), mencionou sua preocupação com os gastos na máquina pública e citou como exemplo positivo, a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. “A Câmara de Jaraguá não chegou a gastar a metade do orçamento que tinha direito em 2017. De R$ 20 milhões, gastamos em torno de R$ 9 milhões. Somos exemplo”.