no comments

CARTÃO POSTAL AMEAÇADO POR DEPÓSITO IRREGULAR DE LIXO

O vereador Jaime Negherbon (PMDB) elogiou, durante a sessão da última quinta-feira (20), o anúncio de que a Prefeitura vai colocar um vigia para cuidar da área que envolve a Arena Jaraguá. Ele comentou o fato de um caixão ter sido encontrado entre os dejetos que são depositados nos terrenos próximos ao ginásio.
Lembrou que a questão que envolve o lixo nos arredores da Arena já é uma discussão que vem desde o governo do ex-prefeito Moacir Bertoldi. E que os “buracos” que existem na área deveriam ser preenchidos para evitar que se joguem entulhos.
O vereador Jean Carlo Leutprecht (PCdoB) lembrou que a área é muito grande apenas para um vigilante cuidar e que seria necessário um monitoramento mais eficaz para evitar que a população jogue lixo na área. “Há a necessidade de se fazer um controle do acesso daquela área, pois os caminhões que depositam os entulhos vêm de madrugada”, comentou Jean.
O líder de governo, vereador Ademar Possamai (DEM), comentou que o acesso à Arena está sendo estudado e que há a real necessidade de que isso seja feito. “Passei por lá e uma pessoa depositava materiais em um terreno próximo a Arena. Eu anotei a placa do veículo e o denunciei”, disse, informando que há um projeto de urbanização para o local e se estuda a possibilidade de se fazer um muro em torno do cemitério que, segundo ele, é uma antiga necessidade.

U[b]m destino definitivo para o lixo[/b]

O vereador Amarildo Sarti (PV) disse que enquanto não houver um destino ideal para o lixo, a situação de depósito em locais inapropriados não vai ser resolvida. Segundo ele, as medidas citadas pelos vereadores são paliativas e não resolvem definitivamente o problema.
Amarildo comentou que o assunto da destinação do lixo tem de ser tratado de maneira séria em Jaraguá do Sul. “Os projetos que são apresentados nesse sentido e casca de alho são a mesma coisa. Não valem nada”, comparou. Ele comentou ainda que o lixo tem de ser visto como uma visão de futuro. “Vou ficar feliz quando passar um projeto de R$ 20 milhões para resolver a destinação do lixo”, desabafou.
Ele ainda criticou os elogios feitos para soluções paliativas do Executivo, pois o lixo, na sua opinião, deveria ter uma nova visão para os governantes. “Jaraguá do Sul é uma cidade que tem uma grande visão de futuro, que pensa pra frente. Acho que uma questão como essa deveria ser encarada da mesma forma pelo Executivo”, finalizou.