no comments

Presidente da CCO presta contas na Câmara

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663dc2-456d-6336.jpg[/img]
O presidente da CCO (Comissão Central Organizadora) da 22ª Schützenfest, Alcides Pavanello, apresentou, nesta terça-feira (26), na Câmara de Vereadores, um balanço financeiro da festa. A receita geral totalizou R$ 680.460,00, dos quais R$ 370 mil repassados pelo município, enquanto as despesas somaram R$ 610.172,63.
Entre elas, citou os R$ 136 mil repassados às sociedades e R$ 14,5 mil aos grupos folclóricos, que, informou, em outros anos acumulavam prejuízos com o evento. “Não considero estes valores como despesa, mas como altíssimo investimento no resgate das sociedades, da cultura e da própria imagem da festa. Acho que as sociedades mereciam mais, pelo momento que estão vivendo”, declarou.
O presidente também informou que, caso não fossem estes repasses, a festa devolveria à Fundação Cultural R$ 220 mil, dos R$ 370 mil repassados para realização do evento. O superávit financeiro totalizou R$ 70.287,37.
Pavanello agradeceu a participação das sociedades e o envolvimento de toda a CCO. “Não sei quem estará à frente da Schützenfest ano que vem, mas se este ano tivemos 16, ano que vem serão 20. O que faltava era motivação. E nós fizemos questão de fazer este reconhecimento”, comentou, informando que na próxima quinta-feira, às 17 horas, acontece a última reunião da comissão, com balanço final e diagnóstico do evento.
O presidente também convidou aos presentes para acessarem o novo site da festa: www.schutzenfest.com.br.

Vereadores elogiam
Os vereadores da bancada do PMDB, Lorival Demathê e Jaime Negherbon, elogiaram a equipe organizadora, e defenderam a manutenção da mesma, como forma de manutenção das tradições. “A festa valeu a pena. Quero compartilhar o entendimento do Alcides de quando se fala em cultura e tradição. Não se trata como despesa, mas investimento e manutenção das tradições”, comentou Ademar Possamai (DEM).
A presidente Natália Petry (PSB) colocou que sempre defendeu a continuidade da festa, até por ter participado ativamente na realização de edições anteriores. “Com certeza vale a pena investir para que fosse resgatado do modelo proposto. Esta festa é do nosso tamanho. Mas com certeza o resgate é muito importante não só para estas sociedades e grupos folclóricos, mas para Jaraguá do Sul e região. Receba do legislativo nossos cumprimentos”, declarou.