no comments

UJAM QUER MAIS QUE OBRAS. QUER QUALIDADE DE VIDA

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d28-4ddb-da2e.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d28-4dc1-b3b2.jpg[/img]
O desafio de romper com certas idéias disseminadas na sociedade, dentre elas o de que pedir consertos de buracos de ruas é o principal papel das associações de moradores, é uma das metas do presidente da União Jaraguaense das Associações de Moradores (Ujam), Agostinho Zimmermann. O líder comunitário viveu momentos de emoção na noite desta quinta-feira (30 de abril), quando pela primeira vez desde sua fundação, em 24 de abril de 1997, a Ujam recebeu uma homenagem.
A sessão solene foi proposta pelos vereadores da bancada do Partido dos Trabalhadores (PT), Francisco Alves e Justino Pereira da Luz, para marcar a passagem do Dia Municipal das Associações de Moradores, instituído pela lei 44/2007, proposta pelo ex-vereador Jurandir Michels, e aprovada em 15 de março daquele ano.
A solenidade teve dois momentos especiais – a posse simbólica do recém eleito presidente da Ujam, Agostinho Zimmermann, que conduzia a entidade interinamente desde o final do ano passado, quando o então presidente afastou-se Luiz Hirschen afastou-se para assumir a coordenação dos conselhos do município; e homenagem à contabilista Maria Terezinha de Ávila Bispo pelo apoio incondicional às ações de conquista da cidadania e à organização das associações.
Agostinho acredita que a organização comunitária eficiente é aquela que busca a qualidade de vida. Ele agradeceu ao apoio dos 42 delegados que o elegeram e reforçou que na condição de presidente da Ujam é isso que pretende buscar – direitos iguais para quem mora no bairro e no centro. E qualidade de vida idem. “Noto uma preocupação muito grande com o desenvolvimento econômico, mas é importante lembrar que ele só será conquistado se houver desenvolvimento humano e social. A população precisa crescer junto.”
A trajetória dele mesmo reflete sua busca. Há pelo menos 30 anos se envolve nas discussões comunitárias, participando de associações de pais e professores e da Defesa Civil. Por duas vezes presidiu a Associação de Moradores do Bairro Vieiras (Ambav) e desde 2005 integra a Federação das Associações de Moradores do Estado de Santa Catarina, a Famesc, onde ocupa a vice-presidência.

[b]ANOS E ANOS BUSCANDO A ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA[/b]

A história da Ujam foi resgatada pelo vereador Justino da Luz, que fez questão de nominar todas as pessoas que incentivaram sua criação, bem como todas as diretorias que se seguiram. O vereador recordou que a união surgiu quando Jaraguá do Sul tinha cerca de dez associações de moradores – duas delas, as dos bairros Tifa Martins e Três Rios do Norte, mais organizadas. E destacou que ela é fruto das aspirações de um grupo de pessoas que passou anos estudando uma forma de estimular a participação popular e sua organização em torno de uma entidade representativa nos bairros.
Hoje, o município tem 39 associações, mas 25 estão legalizadas e na ativa. E o objetivo da Ujam é estimular estas outras associações para que legalizem sua situação. Para isso, elas contam com apoio irrestrito da contabilista Maria Terezinha de Ávila Bispo, que além do apoio dado nos bastidores, dá suporte e consultoria a todas, orientando da importância de organizar o livro-caixa, colocar as finanças em dia e cumprir as determinações burocráticas exigidas.
“A união faz a força”, conclamou a contabilista, que também presidiu a Associação de Moradores da Vila Lalau. É uma das fundadoras do Centro de Direitos Humanos (CDH) de Jaraguá do Sul e do Movimento da Consciência Negra do Vale do Itapocu, o Moconevi, e foi eleita neste mês presidente do Sindicato dos Contabilistas de Jaraguá do Sul.
A importância de organização comunitária livre de bandeiras partidárias foi reforçada tanto pelo ex-presidente Luiz Hirschen, que destacou a parceria desenvolvida com o poder público, mas sem a interferência deste em suas ações; como pelo vice-prefeito Irineu Pasold, que representava a prefeita Cecília Konell.
Pasold relembrou que desde 1993, na condição de secretário da Saúde, começou a manter contato com as associações, contato este que se estreitou no governo de Geraldo Werninghaus e depois quando ele assumiu como prefeito. Fez questão de destacar os nomes de duas mulheres por esta participação ativa na organização dos movimentos populares – a homenageada da noite Maria Terezinha Bispo e o falecida Anita Kinas, lembrada com carinho também por todos os dirigentes de associações que fizeram questão de prestigiar a sessão.
Nas fotos, uma panorâmica da sessão especial; os vereadores Ademar Possamai (DEM) e Justino da Luz (PT) entregam placa a Agostinho Zimmermann; e os vereadores Ademar Winter (PSDB) e Francisco Alves (PT) homenageiam Maria Terezinha.

Jornalista responsável: Rosana Ritta – Registro profissional: SC 491/JP