no comments

Equipe municipal de Saúde presta contas do 3° quadrimestre

O secretário de Saúde de Jaraguá do Sul, Dalton Fischer, apresentou dados relativos ao setor nesta quinta-feira, 25, à Comissão de Educação, Cultura, Esporte, Saúde e Assistência Social. Acompanhado de sua equipe, o secretário fez uma explanação sobre os gastos, número de consultas realizadas pelos postos, recursos utilizados entre outras demandas da Saúde municipal. Os dados referem-se ao 3° quadrimestre de 2015 e foram exibidos em um relatório de 30 páginas.

O vereador Jair Pedri interpelou o secretário em três questões: a primeira sobre situação dos Food Trucks na cidade, Pedri questionou sobre a expedição de alvarás sanitários para os empreendimentos participarem de festivais no município, para o parlamentar o negócio precisa ser regulamentado e dar mais segurança aos microempresários e aos consumidores; o segundo ponto foi referente à vigilância sanitária, segundo ele, cerca de 500 projetos foram apresentados ao setor no 3° quadrimestre de 2015 e apenas 100 foram aprovados, o que seria uma desproporcionalidade muito grande; e, por último, em relação às horas extras de alguns funcionários públicos da Saúde, que estariam reclamando de falta de pagamento.

Dalton afirmou que os festivais com Food Trucks tiveram alvará e as condições dos eventos foram normais. Sobre os projetos, o secretário ressaltou que eram de ótima qualidade, com boas ideias, mas que algumas questões legais como acessibilidade e algumas regras para prédios em áreas da Saúde. Já sobre às horas extras, Fischer tranquilizou o edil e disse que as pendências serão devidamente sanadas.

O vereador Eugênio Juraszek indagou sobre as informações de focos do Aedes Aegypti. Segundo Jaraszek, o poder público municipal adverte as comunidades sobre os focos, mas que não especifica os locais exatos deles.

O secretário explicou que não há como afirmar qual localidade tem a maior incidência, pois não há muitos casos de focos no município. Ele atribuiu a apenas quatro locais da cidade as maiores incidências de foco e que são locais de carga e descarga, com caminhões que vêm de outras cidades do estado, onde o número de casos é maior, alguns considerados em estado de epidemia, como Joinville.

O vereador Arlindo Rincos ainda questionou Dalton sobre programas de combate à tuberculose, aids e outras DSTs. O secretário se mostrou preocupado com a situação brasileira envolvendo essas doenças. Segundo ele, os casos de sífilis têm aumentado nos últimos anos, mas alertou que o município fornece preservativos em todos os postos de atendimento e que o que ainda falta é a conscientização da comunidade sobre esses riscos. Rincos cobrou maior ação do poder público para que intensifique as campanhas de prevenção.