no comments

Grupo de Trabalho busca viabilidade técnica do transporte coletivo

DSC04673Redefinição de traçado, caracterização de demanda, definição e localização de terminais e estações de embarque/desembarque, estimativas e projeção de linhas e a avaliação de necessidades. Estes foram os temas abordados na 2º reunião do Grupo de Trabalho, realizada na tarde de ontem, 29, na Câmara de Vereadores.

No encontro, a concessionária de transporte Canarinho entregou relatório, contendo mais de 600 páginas, detalhando a organização operacional do transporte coletivo e o impacto financeiro de cada uma delas. Por sugestão do representante do movimento Jaraguá em Foco, Sérgio Peron, para que não haja sobrecarga, o trabalho será dividido em partes entre os membros do grupo.

Como primeira medida, o gerente de Operacional da empresa, Rubens Missfeldt solicitou estudos para se reduzir a capacidade ociosa do transporte coletivo do município que hoje é de 1,7 milhão ao mês. O sistema comporta 2,5 milhões de passageiros e apenas 783 mil utilizam o transporte coletivo, divididos em 1.136 viagens por dia útil, 804 viagens aos sábados e 502 viagens aos domingos. Com base nas sugestões populares, o trabalho será centralizado na analise das necessidades de cada linha do transporte coletivo.

Do grupo, coordenado pelo vereador Arlindo Rincos, participam representantes dos poderes públicos e da sociedade, como os parlamentares João Fiamoncini e José de Ávila, representantes dos movimentos populares Jaraguá em Foco, do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Católica SC e da União Jaraguaense das Associações de Moradores (Ujam), do Executivo, da concessionária de transporte Viação Canarinho.

Os participantes buscam elaborar um projeto que contemple um amplo planejamento definido a frequência das viagens, a programação operacional para que o usuário tenha condições de chegar ao seu destino, abrigos nas paradas de acordo com as distâncias previstas nas normas de engenharia de trânsito, veículos confortáveis, garantido um serviço de qualidade. O documento servirá de sugestão ao Executivo para renovação do contrato de concessão em 2016.