no comments

ASSOCIAÇÃO DE ENTIDADES RELIGIOSAS GANHA UTILIDADE PÚBLICA

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d777c9-3963-3ee5.jpg[/img]

Por iniciativa da presidente Natália Lúcia Petry (PSB), a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul concedeu, na sessão de quinta-feira da semana passada, dia 15, o título de entidade de utilidade pública à Associação das Promoções Humanas das Entidades Religiosas Cristãs (Apher), aprovado por meio do projeto de lei ordinária de nº 153/2010. A entidade tem a colaboração de 28 entidades religiosas e visa garantir a qualidade dos atendimentos e verificar a real necessidade das pessoas que buscam ajuda nas entidades religiosas.
A ideia de criar uma associação que envolvesse as diversas comunidades religiosas surgiu no ano de 2003, quando Ana Elisa Pavanello, então conselheira do Conselho Municipal de Assistência Social, participou de um programa de cadastro único da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação. Em 2006, surgiu a Apher, inicialmente composta pelas igrejas Católica e Luterana, mas com o tempo teve a sua rede de solidariedade ampliada a outras entidades religiosas cristãs.
A Apher surgiu da necessidade de organizar e distribuir produtos alimentícios, higiene pessoal e vestuário às famílias carentes atendidas pelas comunidades religiosas da cidade de Jaraguá do Sul, a fim de evitar que uma mesma família fosse atendida por mais de uma religião. Além do atendimento imediato para aplacar seu sofrimento, a entidade se empenha em buscar alternativas para que as famílias carentes que possam superar a condição social em que se encontram. “Afinal é necessário que as pessoas caminhem com as próprias pernas, trabalhando e provendo seu próprio sustento. Não é necessário somente dar o peixe, mas também é preciso ensinar a pescar”, ressaltou a vereadora Natália, ao apresentar em plenário a associação.
Para promover a melhora de vida das pessoas atendidas, a associação atua na capacitação profissional da população de baixa renda. A capacitação possibilita a ocupação de uma vaga no mercado de trabalho. Os cursos que são ministrados pela entidade almejam a qualificação dessas pessoas, como meio de promover a inclusão produtiva através destes cursos. “Isto possibilita combater o desemprego e, conseqüentemente, a fome”, comentou a presidente da Casa.
Na plateia, um grupo de representantes da Apher acompanhou atentamente a sessão e depois recebeu os cumprimentos da presidente e dos demais vereadores. Na foto, os vereadores recebem a diretoria da Apher para registrar o momento no plenário.