no comments

A ATUAÇÃO DECISIVA DO BB NO CRESCIMENTO DA REGIÃO

Jaraguá do Sul cresce, floresce e aparece. Com estas palavras, o então prefeito Waldemar Grubba deu por inaugurada a agência do Banco do Brasil em Jaraguá. Era uma segunda-feira, 3 de janeiro de 1959. A agência-sede, destinada também aos municípios de Corupá, Guaramirim, Massaranduba e Schroeder, fazia parte de uma das três programadas para o Estado para aquele ano. As outras duas seriam em Brusque e Concórdia.
Para lembrar os 50 anos de instalação do Banco do Brasil na região, na época considerada de destaque na agroindústria, e os 200 anos de fundação no País, a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul realiza nesta quinta-feira, 23 de abril, uma sessão solene em homenagem a estas datas marcantes. A solenidade foi sugerida pela vereadora Natália Lúcia Petry (PSB).
“Sem medo de errar, pode-se dizer que a região teve dois períodos – um antes do Banco do Brasil e outro depois do Banco do Brasil”, se emociona o primeiro funcionário da instituição, Gerd Edgar Baumer.
Hoje vice-presidente do Conselho de Administração da Weg no Brasil, Baumer se recorda de como iniciou sua trajetória no Banco do Brasil. Funcionário concursado, ele iria assumir uma função na agência de Concórdia. Mas quis o destino que no momento em que se apresentou em Joinville, encontrou o gerente instalador da futura agência jaraguaense, seu ex-professor Oswaldo de S. Thiago, que o convidou para integrar a equipe nesta cidade.
Diante da resposta positiva, Oswaldo encarregou-se da nomeação junto ao diretor administrativo do BB no Rio de Janeiro na época, o joinvilense Oswaldo Roberto Colin. Baumer recorda que em 19 de novembro de 1958 foi feita a primeira visita à futura sede, localizada na rua Marechal Deodoro, onde hoje está o Shopping Fall.
Em 19 de dezembro de 1958, já nomeado funcionário, ele começou a instalação dos móveis e equipamentos para a futura agência. Das recordações mais marcantes desta época, Baumer destaca o espírito empreendedor que já existia em Jaraguá, onde muitos tinham desejo de ser o dono do negócio, além da cordialidade com que os novos funcionários eram tratados. Na vida pessoal, ele se desdobrava entre o emprego e os estudos em Curitiba, onde cursava direito.
Conta que a expansão da cidade se deu em grande parte com financiamentos da Aliança para o Progresso, um plano do governo dos Estados Unidos para a América Latina, idealizado pelo presidente John Fritzgerald Kennedy. O banco oferecia dinheiro para novos empreendimentos com juros de 6% ao ano.
Baumer saiu do banco em 1° de março de 1974, para assumir a diretoria administrativa financeira da Weg, mas diz que o orgulho de ter servido a esta instituição o acompanhará pelo resto da vida. “Recordo que o senhor Eggon (João da Silva, um dos três fundadores do Grupo Weg), disse na época de sua contratação: Muitos funcionários nossos passaram nos concursos do Banco do Brasil, chegou o momento de também tirarmos funcionários do banco.”