no comments

PRIMEIROS FUNCIONÁRIOS LEMBRAM COMO ERA TRABALHAR NO BB

A história do Banco do Brasil, a maior instituição financeira do País, que completou no ano passado 200 anos de fundação, motivou a vereadora Natália Lúcia Petry (PSB) a sugerir a realização, na Câmara de Jaraguá do Sul, de uma sessão especial em homenagem à data. Esta homenagem, que acontece na noite desta quinta-feira, às 19h30, se reveste ainda de mais importância quando se constata que em 2009 completam-se também os 50 anos de fundação da primeira agência do Banco do Brasil em Jaraguá do Sul e região.
A história do Banco do Brasil inicia-se em 12 de outubro de 1808, quando o rei Dom João 6º, após a vinda da família real portuguesa para o Brasil, criou o Banco do Brasil. A iniciativa visava à criação de indústrias manufatureiras no Brasil, incluindo isenções de impostos para importação de matérias-primas e de exportação de produtos industrializados.
Hoje com 24,6 milhões de clientes, 15,1 mil pontos de atendimentos em 3,1 mil cidades e 22 países, o Banco do Brasil é a maior instituição financeira do País, atendendo a todos os segmentos do mercado financeiro. Em Jaraguá do Sul, sua atuação foi fundamental para incentivar a força industrial crescente na década de 50, através da agroindústria, sem esquecer negócios desenvolvidos por empresas como a Duas Rodas, Marcatto, Marquardt, Cyrus e Jaraguá Fabril, que colocaram o município na programação de abertura de três novas agências no Estado.
A agência local, que atendia também os demais municípios da microrregião, foi fundada no dia 3 de janeiro de 1959, com a presença do então prefeito Waldemar Grubba, que cunhou a frase histórica: “Jaraguá do Sul cresce, floresce e aparece”, como bem lembra o primeiro funcionário, o hoje vice-presidente do Conselho de Administração da Weg, Gerd Edgar Baumer.
A equipe tinha como gerente, Oswaldo Christiano de S. Thiago; subgerente, José Ribamar Ferreira; encarregado da Carteira de Crédito Industrial e Agrícola, Gerd Edgar Baumer; encarregado do Cadastro, Osni Pereira; e o caixa Miranda, que veio de Florianópolis, num número não superior a dez funcionários.
Para representar todos os funcionários que passaram pela agência em Jaraguá do Sul, e aqueles que ainda dedicam-se a fortalecer o compromisso entre os funcionários e a empresa e a contribuir para o desenvolvimento do País, o gerente Silvo Ferri escolheu o ex-funcionário Gerd Edgar Baumer para ser o principal homenageado desta solenidade.
Afinal, ele acompanhou desde as obras da primeira sede, construída onde hoje está o Shopping Fall, na rua Marechal Deodoro da Fonseca, até a aquisição de móveis e material de escritório para o início dos trabalhos. Trajetória este que durou até 1974, quando afastou para se dedicar a outros projetos profissionais na Weg.
Também merece destaque como um dos funcionários mais antigos do BB em Jaraguá do Sul, o ex-fiscal visitador da Carteira de Crédito Industrial e Agrícola José Gonçalves Oliveira. O jovem mineiro, então com 23 anos, que chegou à cidade para assumir a função depois de ter passado em um concurso público, recorda com saudosismo a função que desempenhava e possivelmente foi extinta. Ele costuma diz que foi um dos primeiros “estrangeiros” do BB na cidade.
Como fiscal visitador, ele percorria as propriedades rurais da região verificando que se os recursos dos empréstimos tinham sido mesmo utilizados para os fins a que se propunham os clientes. “Se era bom? Bem, posso dizer que esta era a minha vida, tudo o que vivi e conquistei vem deste trabalho”, reforça Oliveira.
Aposentado há 22 anos e com quatro filhos adultos, Oliveira hoje diz que se dedica aos afazeres domésticos ao lado da mulher, Marilu. Diz que desta forma aprendeu a valorizar o trabalho de uma dona de casa. Ele também recorda de colegas da época como Alécio Berri, que não deverá comparecer à solenidade por estar adoentado, e Arlindo Salai, este estabelecido em Joinville.

Jornalista responsável: Rosana Ritta – Registro profissional: SC 491/JP