no comments

PPA NA ILHA DA FIGUEIRA REFERENDA A LIÇÃO DE CIDADANIA DA CÂMARA

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d767b0-53a3-6cf9.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d767b0-5374-ad4b.jpg[/img]
Uma sensação de alívio e um misto de emoção tomaram conta dos vereadores e dos funcionários da Câmara de Jaraguá do Sul ao concluírem, na quarta-feira, a etapa de 14 reuniões promovidas no período de 8 de junho a 22 de julho com a população para colher sugestões que serão levadas pelos vereadores para que a Prefeitura as incorpore ao Plano Plurianual (PPA) – o orçamento do município para os próximos quatro anos.
A reunião, na Escola Lilia Ayroso Oeschler, no bairro Ilha da Figueira, reuniu quase uma centena de moradores da Figueira e dos bairros Boa Vista e Águas Claras. Além de terem sido informados de que participavam de um momento histórico – nunca é tarde para lembrar que a Câmara jaraguaense é a primeira no País a promover o PPA Participativo – eles receberam informação de que seus pedidos serão apresentados em forma de emendas ao PPA enviado pela prefeita, que poderá acatar ou não as sugestões.
Concluída a etapa de 14 reuniões, que envolveram os 38 bairros da cidade, agora a equipe técnica que desenvolveu o PPA Participativo vai compilar as informações, comparar com o projeto enviado pela Prefeitura e o que não estava contemplado será sugerido pelos vereadores. Em média, 80 pessoas participaram de cada encontro.
O presidente da Câmara, vereador Jean Leutprecht (PC do B), lembrou que o fato de o PPA Participativo ter atingido diretamente aproximadamente 1% da população jaraguaense em sua primeira vez, a princípio pode parecer pouco, mas é um pequeno passo que enche de orgulho a atual legislatura. O vice-presidente, Isair Moser (PR), também apostou no projeto e fez questão de ouvir atentamente os pedidos da comunidade.

[b]IDÉIA QUE SURGIU EM COMISSÃO GANHOU APOIO DE TODOS[/b]

A idéia lançada pela Comissão de Finanças e Orçamento, presidida pelo vereador Francisco Alves (PT), foi prontamente acatada pelos demais integrantes da comissão – o líder de governo Ademar Possamai (DEM) e o vereador Lorival Demathê (PMDB), e depois pelos demais vereadores e por um grupo de funcionários que desenvolveu o projeto e o colocou em prática usando recursos de multimídia para explicar didaticamente afinal, o que é o PPA.
O vereador Possamai fez questão de participar de diversos encontros, onde reforçava que apesar de alguns pedidos da comunidade certamente já estarem incluídos no PPA é importante escutar a comunidade e entender melhor o que ela espera.
Os vereadores também procuraram esclarecer à população um pouco de seu trabalho. Eles sempre fizeram questão de enfatizar que vereador não tem máquina e nem poder de realizar obras, mas que está ao lado da comunidade, como seu legítimo representante, ouvindo suas aspirações, levando-as ao conhecimento da Prefeitura e exercendo seu papel de legislar e fiscalizar.
“Não concordo quando vocês dizem que vereador não tem máquina e por isso não tem o poder de realizar obras”, desafiou no encontro da Ilha da Figueira o presidente da União Jaraguaense das Associações de Moradores (Ujam), Agostinho Zimmermann, ao lembrar aos vereadores que eles têm muito mais do que isso. “Vocês têm a força, porque têm a lei”, disse Agostinho, parabenizando-os pelo marco histórico.
“O PPA é um dos planos mais importantes desta gestão”, referendou o vereador José Osorio de Avila (DEM). O fato de ter sido professor da escola que sediou o encontro e vir de uma longa experiência com os movimentos populares fizeram com que o vereador Justino Pereira da Luz (PT) também destacasse o seu orgulho em integrar a gestão que lançou o PPA Participativo.

[b]OS BAIRROS COM MAIOR REPRESENTATIVIDADE[/b]

Justino também concluiu a rodada de reuniões com um saldo que o encheu de satisfação. A reunião realizada na Escola Marcos Verbinnem, no bairro Estrada Nova, onde ele mora, registrou recorde de público. Foram quase 150 pessoas no encontro prestigiado até mesmo pela deputada estadual Angela Albino (PC do B), que cumpria agenda na região. Em sua passagem pelo PPA, Angela lembrou aos moradores que “o poder emana do povo e para o povo”.
Satisfeita com o exercício de cidadania que presenciou, a deputada apresentou uma moção de apoio na Assembleia Legislativa, que foi aprovada pelos demais deputados. O deputado Amarildo Sarti (PV), que também mora na região da Vila Rau, ficou surpreso com a repercussão da iniciativa.
Outro vereador que se orgulhou de ter o respaldo da comunidade onde mora é o peemedebista Lorival Demathê. O encontro na região de Nereu Ramos teve o segundo maior público. Foram quase 130 pessoas. Embora os vereadores, em especial a vereadora e professora Natália Lúcia Petry (PSB), tenham lembrado em todos os encontros que como eles são 11 e existem 38 bairros, então vereador não tem bairro, até porque a maioria recebeu votos em quase toda a cidade, nesta espécie de “ranking” de contagem de público ficou evidente que as regiões que têm vereadores morando são as que demonstraram mais disposição de participar.
Tanto que o terceiro lugar em participação de público ficou com a região do São Luís e Jaraguá Esquerdo, onde moram os vereadores Jaime Negherbon (PMDB), uma das presenças mais assíduas das plenárias, e de José Osorio de Avila. Foram 102 pessoas.
Francisco Alves e a vereadora e professora Natália, moradores do bairro Ilha da Figueira, ficaram com o quarto maior público, com 94 pessoas. A expectativa dos vereadores, que ao sediarem o último encontro em sua região reforçaram a divulgação no maior bairro da cidade, com cerca de 10 mil habitantes, ficou em parte frustrada pela noite chuvosa e fria de quarta-feira e as férias escolares.
Mas a certeza de terem lançado um projeto que se coloca como um divisor de águas na comunidade local os encheu de orgulho. Também é importante destacar que o público, se pequeno em quantidade, sempre se revelou da mais alta qualidade em todas as reuniões. Um desafio que o vereador Francisco Alves tem certeza de que marcará sua primeira experiência como legislador.

[b]INTERESSES COLETIVOS NA HORA DE PREENCHER AS FICHAS[/b]

Líderes comunitários, donas de casa, estudantes, crianças, trabalhadores. Em cada região, uma peculiaridade e uma expectativa. Em comum, todos querendo melhor qualidade de vida. E a maior surpresa foi o recado escrito a mão nas cerca de mil fichas preenchidas no PPA Participativo: ninguém quer uma obra faraônica. O que a população quer são serviços muito básico, como médico no posto de saúde, escolas e creches ao alcance de seus filhos, transporte coletivo, ruas pavimentadas, solução para evitar enchentes, esgoto e segurança no trânsito.
A observação de famílias inteiras, vizinhos e líderes comunitários reunidos discutindo as reivindicações que apresentariam, conscientes de que o interesse coletivo era o mais importante é uma das imagens mais fortes das dezenas captadas em cada encontro do PPA Participativo.
Além da deputada Angela Albino, o PPA Participativo também foi prestigiado pelo deputado estadual da região Dionei Walter da Silva (PT). Orgulhoso por saber que a Câmara adotou um projeto nascido no seu partido, e até então só colocado em prática por prefeituras comandadas pelo PT, o deputado procurou acompanhar vários encontros.
E aproveitou para usar o projeto como tema das aulas de cidadania e ética que estava dando aos alunos da Escola de Educação Popular. O assunto virou tarefa de casa para o grupo que participou do encontro na região do Três Rios do Norte, onde mora maioria dos alunos.
Outro deputado estadual, Dirceu Dresch (PT), embora não tenha participado pessoalmente dos encontros, o acompanhou à distância. Na última reunião enviou seu assessor parlamentar Marcel Salomon com uma mensagem onde enfatizou que só a comunidade sabe das dificuldades que estão marcadas na história da cidade. “A cidadania se constrói participando”, decretou.
Terminadas as reuniões do PPA, agora a equipe técnica comandada pela assessora jurídica Fernanda Klitzke vai fazer um levantamento detalhados dos resultados. Serão separados os pedidos que se encaixarão como emendas do PPA, outros serão apresentados em forma de indicações pelos vereadores à Prefeitura.
Depois de aprovado em sessão na Câmara, o PPA será enviado até o dia 15 de agosto para a Prefeitura, onde a prefeita poderá acatar ou não as emendas. Quem não teve oportunidade de acompanhar as reuniões pode ainda participar acessando o link do PPA Participativo no site da Câmara: www.jaraguadosul.sc.leg.br, e preenchendo a ficha virtual.
Nas fotos, a população preenchendo as fichas e os vereadores entregando cópias do projeto original aos líderes comunitários: Possamai, Maycon, Natália, Mauro, Francisco e Luiz.

[b]O QUE OS BAIRROS MAIS PRECISAM

Águas Claras (as prioridades apontadas pelo presidente da associação de moradores, Luiz Carlos Markiewicz)[/b]
• Rede de esgoto sanitário
• Creche
• Posto de saúde
• Transporte coletivo, pois o microônibus, considerado uma conquista da população interligando o bairro com o Boa Vista nem sempre cumpre seu itinerário em função das más condições das ruas

[b]Ilha da Figueira (segundo a lista entregue pelo presidente da associação de moradores, Mauro de Paula, e os moradores Lairto de Andrade e Diego Soares)[/b]
• Área de lazer com condições sanitárias
• Rede de esgoto
• Mais um posto de saúde, pois o ESF atende a apenas um terço da demanda
• Escola, pois as existentes na região superlotadas
• Fiscalização mais intensa para que as calçadas sejam transitáveis
• Segurança pública
• Segurança no trânsito, que deve ficar pior com a construção da ponte ligando o bairro ao Centenário
• Plano de educação que defina um padrão de alta qualidade

[b]Boa Vista (segundo o morador do ponto mais alto do Morro das Antenas, Maycon Rodrigo Bley)[/b]

• Rede de esgoto
• Programa de controle contra as drogas, em especial o crack, que se tornou um problema de saúde pública
• Melhorias no acesso a um dos principais pontos turísticos da cidade, onde nem o Rapidinho sobe em determinados dias nem veículos traçados
• Escola

Jornalista responsável: Rosana Ritta