no comments

MARISOL, UMA EMPRESA COM DNA RENOVADO AOS 45 ANOS

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d2d-cbc6-0e47.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d2d-cb95-114c.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d2d-cb6d-225d.jpg[/img]

Um breve histórico do que foi e é a Marisol no cenário econômico jaraguaense foi apresentado na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul da última terça-feira, quando foi destinado um momento especial para que a empresa que está completando 45 anos pudesse receber as homenagens que lhe são de direito.
A proposta de prestar uma homenagem à Marisol foi uma iniciativa do vereador Jaime Negherbon (PMDB), ainda em maio, data do transcurso do aniversário. Porém, em razão das reuniões do PPA Participativo e do recesso parlamentar de 15 dias em julho, Câmara e empresa aguardaram o melhor momento para que a cerimônia pudesse ser realizada.
Em seu discurso, o vereador Jaime destacou a importância da empresa genuinamente jaraguaense não apenas no cenário econômico, mas na história pessoal e familiar de milhares de pessoas que já integraram e ainda integram seu quadro de pessoal. “São estes milhares de trabalhadores anônimos, juntamente com empreendedores de visão, que ajudam a consolidar um nome que se tornou referência no setor empresarial e nos demais segmentos da sociedade. Aliado a eles, uma gestão direcionada à satisfação dos clientes e dos colaboradores, com estrutura de produção flexível e a construção de marcas fortes, que a tornaram uma das mais competitivas empresas têxteis do País”, destacou.
Jaime também fez um resgate histórico da indústria têxtil brasileira. Lembrou a fundação da primeira tecelagem brasileira, a Fábrica de Tecidos Santana, com cerca de três mil funcionários, em 1892, em São Paulo, e a fundação no tumultuado ano político de 1964 da empresa que deu origem à hoje Marisol.
“Foi justamente nesta época marcante da História brasileira que numa pequena cidade do Norte catarinense, a nossa Jaraguá do Sul, no dia 22 de maio do mesmo 1964, nascia uma empresa cujo nome era Belmiro Lonta e Companhia. Mais especificamente uma pequena fábrica de chapéus de praia, feitos com fibras naturais e sintéticas. No mercado promissor que se desenhava, inspirada na junção dos nomes mar e sol, a empresa adotou o nome que ostenta até hoje: Marisol”.
O diretor-presidente da Marisol, Giuliano Donini, que no ano passado assumiu a gestão da empresa, recebida das mãos do pai, Vicente Donini, recebeu as homenagens em nome da própria empresa e de seu pai. Na platéia, empresários, diretores e funcionários da empresa e atletas de voleibol patrocinados pela mesma, incluindo o membro do Conselho de Administração da Marisol, Gerd Baumer.
Em um discurso rápido, objetivo e cheio de reconhecimento, Giuliano informou que a Marisol empregava no final de agosto 6.004 funcionários, 2.554 em Santa Catarina. Destacou a história marcada por uma série de mudanças e inquietudes traduzidas pelo slogan “Inovação no DNA” – uma forma de atuar em um mercado tão concorrencial como é o mercado do vestuário.
Recordou do sonho dos três empreendedores fundadores, entre eles seu tio Pedro Donini. “É uma história marcada por vários movimentos importantes, de empresa de chapéus a pequena malharia, depois importante malharia e agora em marcas em diferentes nichos de mercado de varejo, representadas em 330 lojas no território nacional e 22 no mercado externo, que ajudam a levar as marcas concebidas, dirigidas e conduzidas de pessoas de origem da cidade a todo o mundo”, refletiu.
A ausência de Vicente Donini, hoje presidente do Conselho de Administração da empresa, foi justificada pelo fato de que no momento da homenagem, ele recebia outra, igualmente merecida, na cerimônia do centenário de fundação do Instituto Federal de Educação Tecnológica. Vicente foi um dos mentores da instalação do campus avançado do Cefet em Jaraguá do Sul, do qual a Marisol tem sido grande apoiadora.
Nas fotos, o empresário recebe flores e placas das mãos do presidente da Câmara Jean Leutprecht e do propositor da homenagem, Jaime Negherbon, e dos vereadores Lorival Demathê e Vilmar Delagnolo. Os vereadores também se reuniram no plenário para uma foto com o homenageado e o secretário da Agricultura e da Reconstrução do município, Ingo Robl, que representou a prefeita Cecília Konell.

Jornalista responsável: Rosana Ritta – Registro profissional: SC 491/JP