no comments

IMPORTÂNCIA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS É EXALTADA

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d775d3-14e9-1dd9.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d775d3-1357-a8ac.jpg[/img]
[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d775d3-1312-3fca.jpg[/img]
Para lembrar o Dia Municipal da Micro e Pequena Empresa, comemorado no dia 31 de março, a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, por iniciativa da presidente da Casa, vereadora Natália Lúcia Petry (PSB), realizou, na última terça-feira (6), uma sessão solene em homenagem à Associação das Micro e Pequenas Empresas do Vale do Itapocu (Apevi).
A presidente da Câmara comentou que os pequenos negócios empregam 60% das pessoas economicamente ativas do País. Também salientou a importância da criação, a exemplo de outros países, de políticas públicas para incentivar o desenvolvimento desses empreendimentos. Natália destacou ainda a importância dessas empresas para Jaraguá do Sul, para o Brasil e para o mundo. “Homenagear o empresário da micro e pequena empresa jaraguaense é reconhecer a grande importância que esse setor representa para a economia do nosso município”, disse.
Segundo o presidente da Federação das Associações das Micro e Pequenas Empresas do Estado de Santa Catarina (Fampesc), Márcio Manuel da Silveira, a entidade começou com um movimento social com o intuito de discutir o movimento. Ele ainda explicou que a associação é um importante instrumento de representatividade para os empresários.
E fez um apelo aos vereadores para que se faça pressão e se faça valer a lei geral da micro e pequena empresa. “Ela diz que 20% dos recursos para inovação no País devem ir para as pequenas empresas. Mas, na hora ir nos órgãos de fomento, há tantas exigências que é necessário gastar R$ 10 mil para emprestar R$ 10 mil. Há a necessidade de simplificar esse processo”, comentou Silveira. “Competimos num mercado global e na Coréia destinam 35% dos recursos”, completou.
Márcio também pediu agilidade para anexar a Secretaria de Turismo à Secretaria de Indústria e Comércio. “Sei que este projeto está tramitando nas comissões, mas peço que haja mais agilidade para que as pequenas empresas do ramo de turismo possam ser agraciadas com essa mudança”, ponderou.
O presidente da Apevi, Edson Roberto Schmidt, apresentou dados do Serviço de Apoio ao Empreendedor e Pequeno Empresário (Sebrae), que diz que 50% das empresas vão à falência nos dois primeiros anos de negócios. “O município deve buscar soluções para incentivar essas empresas. Acreditamos que medidas como a lei geral e a criação do EI [Empreendedor Individual] significam um avanço, mas há muito campo para crescer e ajudar o País”, observou Schmidt.
João Pedro Steinbach, primeiro presidente da Apevi e principal homenageado da noite, estava presente com a sua esposa e netos, e agradeceu a todos pela homenagem. “Quero agradecer a todos os membros da primeira diretoria. Alguns não estão mais vivos, mas acreditaram que isso seria possível”, observou Steinbach, saudoso.
O secretário de Indústria e Comércio, Célio Bayer, comentou que o projeto Apevi nos Bairros foi uma inovação na política de relação com as empresas do município. “Eu acredito que foi a primeira entidade a levar esse projeto de descentralizar. Elogiou também o projeto de descentralização das sessões da Câmara, com a realização de itinerantes, “pois vemos a dificuldade de algumas pessoas virem até aqui, mas mostramos disposição e vontade de ir até elas”, explicou Bayer. Segundo o secretário, uma das prioridades nas ações da pasta será a centralização de dados de diversas entidades. Ele explicou que também é necessário traçar um perfil da empresa jaraguaense.