no comments

VEREADORES DISCUTEM MOBILIDADE, EDUCAÇÃO E ESPORTES EM BRASÍLIA

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d775d3-42c4-5e10.jpg[/img]

Ao voltar da viagem feita na semana passada a Brasília, os vereadores Amarildo Sarti (PV), Isair Moser (PR) e Jean Leutprecht (PCdoB) têm uma certeza em comum: é necessário que haja mais vontade política por parte da Prefeitura em buscar recursos para Jaraguá do Sul. O ponto mais relevante desta questão é a falta de criação e envio correto de projetos ao governo federal. Isso faz com que a administração da prefeita Cecília Konell (DEM) não seja contemplada com recursos e programas federais. “Por exemplo, não há nenhum projeto inscrito pela Prefeitura no Ministério das Cidades”, constata Amarildo.
Jean esteve no Ministério do Esporte e foi recebido por Ricardo Leyper Gonçalves, secretário Nacional de Esportes de Alto Rendimento, quando conversou sobre a possibilidade da destinação de recursos para a cobertura da pista de atletismo do Centro Municipal Esportivo Murillo Barreto, localizado no bairro Tifa Martins. “Queremos trazer para Jaraguá do Sul uma manta sintética padrão. Esse material é o exigido pela Confederação Brasileira de Atletismo”, informou.
Segundo ele, há a possibilidade de tornar Jaraguá uma das cidades olímpicas do tiro. Ele ainda salientou que o município é tradicional neste tipo de modalidade esportiva, além de aqui residir um dos atletas da elite do esporte no Brasil, o atirador Samuel Lopes. “Esse pedido vai ser feito para ao Comitê Olímpico Brasileiro e toda a mediação vai ser feita pelo Ministério dos Esportes”, comunicou.
O vereador se reuniu com o deputado federal Cláudio Vignatti (PT/SC) e fez a entrega do projeto para o asfaltamento dos 3,6 km da rua José Martins, localizada no bairro Três Rios do Norte. Ele buscou recursos do Planalto para a pavimentação de uma via importante da cidade, pois, segundo dados fornecidos pela Prefeitura, nela trafegam 110 horários de ônibus e mais de três mil veículos por dia. “Essa rua recebe um tráfego muito intenso de veículos e sua extensão torna inviável que os moradores arquem com os custos desta obra”, argumentou Jean.
Amarildo foi à Agência Nacional de Águas (ANA) e conversou com Devanir dos Santos, gerente de Uso Sustentável da Água e do Solo, sobre projetos para o saneamento rural no município. Segundo o vereador, houve avanços em propostas feitas anteriormente ao diretor, pois Santos esteve em Jaraguá há três anos, quando Amarildo era secretário de Agricultura do governo Moacir Bertoldi, e naquela época havia sido proposto um projeto para pagar a produtores rurais pela preservação de matas ciliares (que fazem a proteção de rios, córregos e nascentes). “Esses encargos seriam custeados pelo Serviço Municipal de Água e Esgoto (Samae) e isso iria garantir água de melhor qualidade na bacia do Itapocu”, explicou.
O vereador ainda se reuniu com diretores do Ministério das Minas e Energia e propôs uma parceria para que seja criada uma usina de energia elétrica que usaria lixo como combustível. A proposta foi bem recebida e começou o delineamento de um projeto realmente viável. O vereador adiantou que haverá conversações com a Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) e com o setor privado para que a ideia saia do papel. “Eles [diretores do Ministério de Minas e Energia] realmente gostaram da sugestão e me disseram que era uma iniciativa pioneira no nosso País. O ministério será o facilitador deste projeto”, ressaltou.
O vereador Amarildo Sarti se reuniu com assessores do Ministério das Cidades. Ele verificou a situação do TransJaraguá no governo federal. Segundo ele, não havia nenhum projeto jaraguaense na questão de mobilidade urbana para ser contemplado na União. Uma das soluções apontadas pelos assessores foi a inscrição de projetos do Executivo no PAC Pavimentação, que está dentro do programa PAC 2. Ainda em encontro com Deusdith de Souza Júnior, diretor de Mobilidade Urbana, o mesmo se comprometeu a vir ao município para falar de propostas. “Estou tratando para que ele venha a Jaraguá do Sul discutir projetos com os vereadores e representantes da Prefeitura”, disse.
Amarildo afirmou que é uma excelente oportunidade da municipalidade conseguir angariar financiamentos para os projetos de mobilidade urbana. “Apenas 20% ou 30% podem ser resgatados a fundo perdido. O resto pode ser financiado com uma carência de quatro anos e juros de 6% ao ano”, explicou Sarti. “O PAC 2 está na boca do forno. Esse é o momento de se enviar projetos para Brasília”, completou.
De representantes do Ministério da Educação, Amarildo ouviu que há a possibilidade de trazer a Jaraguá do Sul um núcleo da Universidade Aberta do Brasil (UAB). Ele explicou que esse núcleo vai servir inicialmente para capacitar funcionários da rede estadual e municipal. “Qualquer curso das universidades federais do País pode ser implantado nesse núcleo. Um professor de pedagogia pode fazer um curso de história”, enfatizou. Segundo ele, a estrutura vai ser fornecida pela Prefeitura e os monitores serão pagos pela União.
Jean Leutprecht ainda aproveitou a presença na Capital para participar do ato de apoio do PCdoB à candidatura de Dilma Rousseff à presidência da República. Eles também participaram de jantar promovido pelo deputado federal Cláudio Vignatti, que teve a participação de prefeitos e vereadores da região.
Na foto, o ministro do Esporte, Orlando Silva, a deputada do PC do B catarinense, Angela Albino, a ex-ministra e presidenciável Dilma Roussef, o vereador Jean Carlo Leutprecht e o secretário de Esportes João Guizonne.