no comments

Natália Petry é eleita presidente da Câmara

IMG_8726A vereadora Natália Petry foi eleita, na sessão de ontem, 18, presidente da Câmara de Vereadores para 2015. Ela substitui a Arlindo Rincos e vai tomar posse em 1º de janeiro do ano que vem. A parlamentar recebeu nove votos a favor contra dois de Jair Pedri. Também foram eleitos Ademar Winter para vice-presidente, Amarildo Sarti para primeiro secretário, João Fiamoncini como segundo secretário.

A vereadora utilizou a tribuna para agradecer o apoio recebido dos familiares, demais parlamentares, lideranças políticas da região e reafirmou sua intenção de unir o Legislativo através de uma gestão compartilhada. Ela também disse que sua administração será pautada no esforço, dedicação e comprometimento e creditou sua vitória ao povo. Entre as ações que pretende intensificar no Legislativo são reforçar a realização de programas educacionais, como Câmara.Com Você e o Vereador Mirim, e as sessões itinerantes.

A nova presidente

Natália Lúcia Petry é natural de Jaraguá do Sul. Filha de agricultores, Bertino Petry e Daura Alzerina Schmitt Petry (in memorian), teve sua educação pautada na honestidade e responsabilidade. Cresceu com seus oito irmãos no Bairro Ilha da Figueira. É mãe de Vinicius, seu bem mais precioso.

Na educação, iniciou sua carreira profissional, em 1978, como professora e técnica de voleibol em várias escolas da cidade. Foi diretora de escolas, entre as quais a Holando Marcelino Gonçalves, como a primeira diretora eleita.

Natália tem larga experiência na vida pública. De 1993 a 1996, foi diretora de Eventos da Fundação Municipal de Esportes. Em 2005, atuou como diretora de Esportes da Fundação, participando ativamente da implantação do PEC – Programa Esporte e Cidadania.

No ano seguinte, 2006, assumiu a presidência da recém-criada Fundação Cultural de Jaraguá do Sul. Foi responsável pela revitalização do Centro Histórico, criação do Programa Aplausos, realização da Feira do Livro de rua, com diversas parcerias. O apoio às entidades artístico-culturais foi outra importante conquista, com a criação do Fundo Municipal de Cultura, democratizando os recursos para o setor.

Na área social, foi coordenadora do Centro de Convivência da Terceira Idade. De 2001 a 2004 desenvolveu vários projetos para que os direitos dos idosos e das mulheres fossem respeitados. O Conselho do Idoso e a implantação de 32 novos clubes de mães são exemplos de todo trabalho e dedicação.

Na política, sua primeira participação foi em 2004, quando aceitou o convite para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal pelo Partido Progressista. Foi a quinta candidata mais votada, com 1819 votos, mas por falta de legenda ficou como primeira suplente. Por dois meses teve oportunidade de assumir como vereadora, defendendo importantes bandeiras que mais tarde se concretizariam. Entre elas, a criação do Conselho Municipal de Cultura.

Nas eleições municipais de 2008, voltou a concorrer ao Legislativo e foi eleita a vereadora com o maior número de votos naquele ano – 2861. No ano de 2010, presidiu a Câmara de Vereadores, atuando no fortalecimento do Poder enquanto instituição democrática. No pleito municipal de 2012, foi eleita vereadora com 1892 votos, pelo PMDB.

Comissões

Na noite de ontem também foram escolhidos os membros das quatro comissões permanentes da Câmara. Conforme prevê o Regimento Interno, o presidente da Casa não pode integrar comissão, assim como suplentes, que não podem ser eleitos, no entanto, podem substituir titulares nas vagas. A composição ficou distribuída da seguinte forma:

Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final

José de Avila

João Fiamoncini

Arlindo Rincos

Comissão de Orçamento e Finanças

Jair Pedri

Ademar Winter

Amarildo Sarti

Comissão de Transportes, Obras, Agricultura, Indústria e Comércio, Meio Ambiente e Serviços Públicos

Eugênio Juraszek

Jocimar de Lima

Ademar Winter

Comissão de Educação, Cultura, Esporte, Saúde e Assistência Social

Arlindo Rincos

José de Avila

Jeferson Oliveira

Internamente, os integrantes de cada comissão definirão os respectivos presidentes, vice-presidentes e membros, fixando os dias e horários em que se reunirão ordinariamente. As composições têm validade para um período de dois anos, com a incumbência de analisar e aperfeiçoar os projetos em tramitação, exarando os pareceres sobre as matérias. As comissões também podem realizar audiências públicas, convocar secretários para prestar informações, receber petições, representações ou queixas de qualquer pessoa contra atos ou omissões de autoridades e entidades públicas, solicitar depoimento de qualquer autoridade ou cidadão, entre outros.