no comments

Projeto de apadrinhamento afetivo é aprovado

NaSessão Ordinária 042 sessão de quinta-feira (02/07), o Projeto de Lei nº 78/2015, que institui no Abrigo Institucional Unidade Baependi o projeto “Apadrinhamento Afetivo – Amor que Transforma”, com 10 votos. O projeto tem como objetivo proporcionar ajuda material, prestacional ou efetiva às crianças e os adolescentes com processos nas Varas da Infância e da Juventude. 
O projeto, de autoria do executivo, foi formulado a partir da demanda das crianças e adolescentes em medida de proteção no acolhimento institucional. As atividades dos padrinhos afetivo inclui visitas regulares, passeios, festas em família nos finais de semana e outras atividades. Também é possível apadrinhar financiando o pagamento de ações diretas em beneficio dos apadrinhados, tais como: exames médico, tratamento psicológico, escola particular, transporte escolar, entre outros. Pessoas e empresas também podem contribuir com roupas, calçados, alimentos, produtos de higiene, remédio, equipamentos de informática, material escolar e outros.
O presidente Natália Petry defendeu o projeto. “Nós já temos casos que deram certo, mas não temos nenhuma legislação que autorizasse o abrigo deixar as crianças com as famílias. Esse processo passa por uma supervisão da equipe, formada por psicólogo, assiste social e pedagoga que verifica se a família tem condições de apadrinhar a criança ou adolescente”, contou a presidente.
O vereador João Fiamoncini apoia o projeto. “O projeto que estamos votando hoje é muito interessante, temos que parabenizar as pessoas envolvidas em sua realização”. Ele também comentou que isso vem auxiliar estas crianças. Outro assunto levantado pelo edil, é a burocracia que se exige para adotar uma criança. “Eu estou na fila há três anos e até o momento não consegui fazer o processo de adoção”, revelou.