no comments

Vereadores criticam corte na isenção da tarifa para idosos

Na Palavra Livre, alguns vereadores manifestaram-se sobre a suspensão da gratuidade no transporte coletivo aos idosos entre 60 e 65 anos. A decisão foi anunciada esta semana pela empresa concessionária, amparada em uma sentença judicial que declarou inconstitucional uma lei municipal que assegurava o benefício.

A vereadora Natália Lúcia Petry lembrou que, quando do julgamento, a administração municipal, em reunião com a Viação Canarinho, acordaram pela manutenção do benefício. Na opinião da vereadora, a suspensão da gratuidade não se justifica, uma vez que a empresa comumente alega que as isenções estão embutidas no preço das passagens. “Se já está incluso no preço, o que justifica tirar este benefício? Significa que a empresa vai reduzir o valor da passagem?”, indagou.

Natália disse ter conversado com o prefeito eleito, Dieter Janssen, que confirmou a retomada da isenção assim que assumir o governo. O vice-prefeito eleito, Jaime Negherbon, fez questão de esclarecer que a medida foi praticada pela atual gestão. “Não é o governo Dieter que está cortando a gratuidade, como já tem falatório por aí. Até o dia 31 de dezembro, é a prefeita Cecília Konell quem responde pelo município”, frisou.

José Osório de Ávila pondera que a empresa deveria, pelo menos, estabelecer um prazo para adequação. O vereador disse ter sido procurado por muitos idosos, que foram pegos de surpresa ao serem impedidos de embarcar nos ônibus devido ao bloqueio dos cartões para usuários daquela faixa etária. “Muitos estavam sem dinheiro para pagar a passagem e tiveram de voltar para casa”, contou.

Justino da Luz cobrou a revisão do contrato vigente, por conta do seu descumprimento, e também o envolvimento do Conselho de Transporte Coletivo nas futuras discussões.