Presidente da Associação dos Surdos cobra central de intérprete do município

O professor Paulo Sérgio Praxedes, presidente da Associação dos Surdos de Jaraguá do Sul, participou da sessão ordinária desta quinta-feira (13) na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. Ele relatou a história de uma mulher surda que precisou passar por perícia no INSS, no início deste mês, para obter um benefício previdenciário, porém o médico que a atendeu não permitiu que o seu intérprete lhe acompanhasse.

Segundo Praxedes, a mulher tem dificuldades com a língua portuguesa escrita e não conseguiu entender o médico. Ele afirmou que médicos e outros profissionais não podem privar os surdos da presença do seu intérprete. Para o presidente, o ideal seria a implantação de uma central de intérprete própria da Prefeitura jaraguaense e que, pelo menos, dois profissionais de tradução da língua de sinais estejam à disposição da comunidade surda. “Os surdos tem os seus direitos como cidadãos e usuários de língua de sinais, por isso precisamos proporcionar essa acessibilidade”, frisa.

Praxedes também advertiu sobre um problema que os surdos estão enfrentando para retirar suas carteirinhas para isenção no transporte público coletivo. Ele avisa que há muitos surdos que estão pagando as passagens para se locomover de casa para trabalhar ou para estudar. A indecisão, segundo informa, é sobre o local de retirar este documento, se é no CRAS ou na Diretoria de Trânsito. Ele pediu ajuda dos vereadores para a resolução desses problemas e empenho na elaboração de políticas públicas para os deficientes auditivos.

 

Link da sessão: https://youtu.be/7bWUFkwc2rk?t=1896