Vereadores devem sugerir PA para desafogar emergência de hospital

Os vereadores de Jaraguá do Sul reuniram-se com o diretor geral do Hospital São José, Maurício Souto-Maior, na tarde dessa quinta-feira (03) para tratar das filas de espera na unidade. A preocupação surgiu na sessão da terça-feira (01) quando os parlamentares levantaram a questão das grandes filas de espera nos hospitais de Jaraguá do Sul. Eles questionaram o diretor sobre a estrutura disponível na unidade hospitalar para a população e a demanda acolhida, com o objetivo de encontrar soluções para a demora no atendimento.

Souto-Maior explicou que o São José conta hoje com nove médicos disponíveis para o setor de emergências que se revezam numa escala de horários para cobrir as 24 horas do dia. O diretor explicou que nesse pronto-socorro há cerca de 6.500 atendimentos por mês e que todas as pessoas recebem uma classificação de risco, indo do nível 1 (não urgência) ao nível 5 (risco de morte). Ele ainda afirmou que cerca de 60% dos atendimentos que chegam ao pronto socorro recebem a classificação de níveis 1 e 2, ou seja, os que oferecem menos riscos ao paciente. Para Souto-Maior, esses 60% poderiam ser atendidos por um pronto atendimento (PA) do município, desvinculada do hospital.

Os vereadores sugeriram que a Prefeitura pudesse auxiliar na construção e manutenção de uma PA próximo ao São José, mas que seja administrado pelo hospital e não pelo poder público municipal. Desta forma, os pacientes que não tiverem classificações graves poderiam ser encaminhados à unidade e, dessa forma, desafogar o pronto socorro. Se preciso, os parlamentares disponibilizaram-se a pedir ao Prefeito Antídio Lunelli que as sobras financeiras da Câmara de Vereadores sejam utilizadas para isso. Eles pretendem protocolar uma moção de apelo para que a proposta seja concretizada.