VEREADORES COBRAM MELHORIAS NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA

[img align=left]https://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d777cd-d588-6618.jpg[/img]
[img align=left]https://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d777cd-d55e-b929.jpg[/img]

“A Celesc está sucateada e não há investimentos. Melhorar a situação depende de uma tomada de atitude por parte do governo do Estado”, lembrou o vereador Amarildo Sarti (PV) na sessão da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul da última quinta-feira (26 de agosto). A manifestação de Amarildo ocorreu no momento em que os vereadores Justino Pereira da Luz (PT) e Jaime Negherbon (PMDB) defendiam duas indicações que se referiam a melhorias na iluminação pública.
O vereador Justino Pereira da Luz (PT) defendia a indicação de nº 490/2010, em que ele pedia providências com a máxima urgência para a troca de transformador de energia elétrica localizado na rua 692, a Camilo Picolli, no bairro Estrada Nova, por outro de maior potência. O vereador disse que o referido transformador fica ao lado de sua casa, e que ele foi despertado naquele dia com mais um estouro no equipamento, situação que tem ocorrido com certa frequência.
“A Celesc chegou ao local em nove minutos, e os eletricistas disseram que não tem material, por isso os profissionais se esforçam para consertar da maneira que podem, mas a situação é precária”, descreveu Justino, enfatizando que não faz o pedido apenas porque o transformador fica perto de sua casa, pois o mesmo atende a dezenas de famílias, e que observa falta de iluminação pública em muitos outros pontos da cidade.
Seu colega de bancada, Francisco Alves (PT), sugeriu uma conversa com a gerência regional da Celesc, pois os problemas se arrastam há muito tempo e considera que é necessário cobrar dos responsáveis. Lembrou que por enquanto são apenas problemas materiais, mas pode ocorrer ainda alguma tragédia.
O vereador Jaime Negherbon (PMDB) também defendeu a indicação nº 493/2010, em que pede a instalação de um poste para iluminação pública no canteiro central, na esquina da rua 503, a Horácio Rubini, com a rua 506, a Feliciano Bortolini, no bairro Barra do Rio Cerro. “Está bastante complicada a situação da cidade. Precisa um poste, já enviei ofícios e agora espero que batendo nesta tecla se recoloque um poste com três luminárias naquele espaço”, reforçou.
Jaime disse que a iluminação da cidade é muito precária e sugeriu que a Celesc deveria trocar por lâmpadas mais fortes, pois outras cidades como Blumenau e Joinville são melhor iluminadas. Justino lembrou que a última grande mudança ocorreu com a troca de 8 mil a 10 mil lâmpadas há mais de cinco anos, no início do governo passado.
O vereador Isair Moser (PR), o Dico, lembrou aos colegas que já esteve em Florianópolis com a direção da Celesc e que foi aprovada na Câmara uma moção de apelo pedindo mais atenção para a região, porém na Capital ele obteve confirmação de que falta material em todo o Estado e ninguém deu perspectiva de quando a situação será contornada.
Amarildo também fez questão de lembrar aos colegas a reunião que promoveu há cerca de três meses na Câmara com o gerente regional da Celesc Luiz de Freitas Melro Neto, da qual participou também os vereadores Ademar Winter (PSDB) e Jaime Negherbon (PMDB), em que ele confirmou a falta de material.