FRANCISCO FAZ RESGATE HISTÓRICO DE SUA PROFISSÃO

[img align=left]https://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/bb071276-8c94-4e60.jpg[/img]
[b]Corretor de imóveis, vereador lembrou o avanço que a profissão atingiu[/b]

O líder da bancada do PT na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, vereador Francisco Alves, aproveitou a passagem do Dia do Corretor de Imóveis, transcorrido na quinta-feira, 27 de agosto, para fazer um resgate histórico da profissão da qual ele também faz parte. Francisco também saudou o novo colega, o vereador Jair Pedri (PSB), que também é corretor de imóveis.
Na viagem ao tempo que fez, o vereador lembrou que a profissão do corretor de imóveis no Brasil vem desde o tempo da colonização, onde as pessoas ganhavam a vida arrumando pousadas para os desbravadores. “Como se trata de uma atividade que visa o desenvolvimento, o progresso e a concretização dos ideais, podemos afirmar, de maneira figurada, que Pero Vaz de Caminha deu início às atividades de corretagem”, disse.
Outro passo em direção à atividade ocorreu no período da colonização, com a preocupação da Coroa portuguesa em fundar municípios. Entretanto, não foram encontrados registros referentes à comercialização de imóveis.
Esta situação, constatou o vereador, só veio nos primeiros anos da colonização do Brasil, quando já existia uma preocupação com a comercialização e o registro dos imóveis. E o reconhecimento da profissão somente no início do século 20, quando a sociedade brasileira ainda era estratificada e a posição social determinada pela propriedade fundiária. Foi neste período que surgiu a pequena burguesia, ligada ao funcionalismo público e às atividades especulativas financeiras.
O desenvolvimento das cidades fez com que a comercialização de imóveis, por anúncios em jornal, se tornasse constante. O corretor de imóveis nessa época era conhecido como agente imobiliário, profissionais formados pela escola da vida, pois não existiam cursos relativos à área.
Esta consolidação só se deu anos 80 e 90, quando foram criados 24 conselhos regionais nas principais capitais do País, responsáveis pela fiscalização do exercício profissional. Desde o surgimento dos primeiros corretores, o perfil dos profissionais mudou bastante.
Mas, qual o futuro da profissão?
Após tanta luta pela regulamentação, qual o papel dos sindicatos e dos conselhos Federal e Regionais de Corretores de Imóveis? O próprio mercado acabou dando a resposta a essa perguntas. Com a difusão da informática e o aumento do nível de exigência por parte dos clientes, passou a ser exigida uma nova postura dos profissionais.
A prestação de serviços e o apoio na realização do melhor negócio ganharam destaque entre as principais características da profissão. Em tempos de informática e alta velocidade na transmissão de informações, para ser bem-sucedido e conquistar a confiança do cliente é necessário estar bem preparado. Com isso, o corretor passa a agir como um consultor, assessorando o cliente em todas as fases da comercialização do imóvel e orientando os aspectos legais envolvidos na transação.
Por se encaixar no perfil deste profissional moderno e atento ao competitivo mercado é que o vereador se sentiu à vontade para se manifestar a parabenizar todos os profissionais da área nesta data especial.