DELEGACIA DA FAMÍLIA PERTO DE SAIR DO PAPEL

A possibilidade de a Delegacia da Mulher sair do papel até dezembro é grande e gera nova expectativa na cidade. A vereadora Natália Lúcia Petry (PSB) voltou a reforçar na sessão da última quinta-feira (27 de agosto) todo o empenho da comunidade local para que a Delegacia da Mulher se torne uma realidade.
A vereadora relatou que esteve em uma reunião com o delegado-chefe da Polícia Civil, Mauricio Eskudlark, o secretário de Desenvolvimento Regional, Lio Tironi, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Silvana Pasold, e o vereador Justino da Luz (PT), onde Eskudlark garantiu que nos próximos dias o governador do Estado vai oficializar a delegacia.
Na distribuição das atribuições, para que cada um faça a sua parte para ver a delegacia em funcionamento, o município vai ver qual o espaço mais conveniente para ela ser implantada. Também ficou definido na reunião que a futura delegacia deve atender toda a microrregião.
Além do espaço físico, a região também deve oferecer o corpo técnico de apoio nas áreas de assistência social e psicologia, pois, conforme lembrou a vereadora, é necessário uma equipe multidisciplinar para atuar junto com os policiais e delegados cedidos pelo Estado. “Nossa esperança é que os números caiam sensivelmente a partir do momento que estes órgãos sejam instalados”, reforçou a vereadora.
Natália pediu aos vereadores, em especial a Jaime Negherbon e Lorival Demathê, ambos da bancada do PMDB, que se aliem para cobrar a efetivação desta delegacia. Apelou para que eles se empenhem e até dezembro desde ano seja aberta uma delegacia da família para atender toda a região.
Há 10 anos Jaraguá do Sul aguarda pela implementação de uma Delegacia da Família, pois os números demonstram que 37% das ocorrências referem-se à mulher, ao adolescente, à criança e ao idoso. Certamente este número seria bem maior se houvesse um encorajamento à denúncia. “Não se trata de aumentar os casos de desrespeito às mulheres, aos idosos, crianças e adolescentes, mas sim oferecer um maior amparo e tentar por fim às atrocidades” complementou a vereadora, que defende que o ideal seria que uma delegacia do gênero não fosse necessária, mas infelizmente a realidade é esta.
A própria Natália tem se mostrado incansável na busca de soluções para a delegacia prometida há anos. Ela lembrou que foi aprovada uma moção de apelo em 10 de março pedindo que o Estado se sensibilize e defina a instalação da DM.
O vereador Lorival Demathê se colocou à disposição para entrar em contato com o governador Luiz Henrique da Silveira e o secretário de Segurança Pública, Ronaldo Benedet, em busca da portaria assinada pelo governador que garantirá a implantação da delegacia.
O vereador Francisco Alves (PT) diz que sua bancada vai estar junto. Sugeriu uma moção em nome da casa para representar força de todos os vereadores, mas foi lembrado que a moção já foi aprovada em 10 de março. Segundo Eskudlark, até o final de dezembro a delegacia deverá estar sendo instalada na cidade.