CÂMARA HOMENAGEIA UMA DÉCADA DO PRIMEIRO DIÁRIO DA REGIÃO

[img align=left]https://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8663d13-3235-4f32.jpg[/img]
A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul realiza junto à sessão ordinária desta terça-feira uma homenagem especial ao jornal Absoluto, de propriedade do jornalista Adelmo Müller. A iniciativa de prestar uma homenagem ao diário que inovou na maneira de fazer jornalismo na região, pois figura como o primeiro diário via fax e internet do Vale do Itapocu, foi uma iniciativa do vereador José Osorio de Avila (DEM), popularmente conhecido como Zé da Farmácia (foto).
O vereador escolheu este 1º de setembro, data em que o Absoluto completa dez anos, para destacar o orgulho de Jaraguá do Sul em sediar um jornal que iniciou tímido, pelo fax, e hoje circula nos cinco continentes pelo método mais ecologicamente correto, por não exigir a derrubada de árvores e nem utilizar produtos químicos na sua elaboração.
O Jornal Absoluto nasceu com o nome de A Voz do Vale, como ainda é conhecido, mas precisou adotar nova identidade porque uma rádio mineira já havia registrado antes a marca. “Mudou o nome, mas não sua linha editorial, de divulgar tudo que é notícia nesta região, em Santa Catarina e no Brasil”, reforça o jornalista Adelmo. Ele se orgulha em dizer que há muito tempo o Absoluto deixou de circular apenas nos municípios do Vale do Itapocu para ter leitura garantida e diária nos cinco continentes, – numa média diária que beira, segundo estatísticas do Google, mais de 130 mil leitores que o acessam.

[b]O EDITOR[/b]

O jornalista Adelmo Müller nasceu em 10 de setembro de 1952, em Barra Velha. Estudou em escolas públicas e concluiu parte do científico em Bacanal, no Maranhão, e na Escola Agrícola de Araquari. Aos 22 anos, em 1974, se formou pela então faculdades do Rio de Janeiro, na ECAC no curso de jornalismo e no mesmo ano pela Faculdade Fluminense, em sociologia.
Sozinho, em uma espécie de auto-exílio, se lançou em uma aventura pela Europa, onde percorreu 16 países, incluindo alguns da então “cortina de aço”. Num retorno clandestino, veio para Jaraguá do Sul. Assim, redigiu o Jornal A Gazeta de Jaraguá, montou a sucursal da então rede de comunicação mais poderosa da América Latina, os Diários Associados – Jornal de Joinville, A Nação de Brusque, de Itajaí e Blumenau e mais tarde, já em 1976 e como diretor de redação, fundou o Diário Catarinense no bairro Saco dos Limões, Florianópolis, que o grupo RBS adquiriu o título mais tarde, quando foi a leilão levado pelo Ministério do Trabalho como pagamento de rescisão trabalhista.
Bem antes da falência dos Diários Associados em SC, Adelmo caiu clandestinidade por um bom período, sem nunca abandonar o jornalismo. Em 1982, com o fim da ditadura militar, e depois de passagens pelos jornais O Estado, A Notícia e Jornal Extra, foi para a tríplice fronteira do Paraná com Paraguai e Argentina.
Entre idas e vindas e coberturas polêmicas, ficou em Foz do Iguaçu até julho de 1999. Mas há dois detalhes de sua vida profissional que ele faz questão de destacar. Em 1976, quando Jaraguá do Sul completou 100 anos, ele homenageou a cidade que o acolheu em alguns dos “anos de chumbo” elaborando o primeiro caderno especial impresso em papel finlandês, e a cores, relatando a história do município, que precisou fechar na sede dos “Diários Associados”, em SP.
Logo depois, ao ter que deixar a cidade, garantiu ao então vereador Odair Vailatti, do MDB, e a empresários amigos, que quando voltasse para Jaraguá do Sul, seria a tempo de colocar nas ruas o primeiro jornal diário, – e no que cumpriu a promessa, pois o Jornal ABSOLUTO foi o primeiro diário a circular na região da Amvali.
Se você ainda não recebe o jornal por e-mail, pode acessá-lo no portal: www.jornalabsoluto.com.br.

Jornalista responsável: Rosana Ritta – Registro profissional: SC 491/JP