no comments

Emancipação Política e Fundação Cultural recebem homenagens na Câmara

Ho9menagem Emancipação 205Em cumprimento à lei 5.526, de 2010 e na vontade de celebrar a história de nosso município, a Câmara de Vereadores realizou nessa quinta-feira (26/03) uma Sessão Solene em homenagem aos 81 anos de emancipação política de Jaraguá do Sul. A Fundação Cultural, que neste ano completa 30 anos, juntamente com seus ex-presidentes, também foi homenageada por suas contribuições para o desenvolvimento da cidade.

Fundada em 25 de julho de 1836, Jaraguá do Sul permaneceu durante muito tempo ligada distritalmente ao município de Joinville. Com o crescimento da população e o fortalecimento da economia, principalmente após a construção da ferrovia, a necessidade de emancipação aumentou e em 26 de março de 1934, Jaraguá desmembrou-se de Joinville, tornando-se um município autônomo. No dia 8 de abril do mesmo ano ocorreu a solenidade de instalação do município e a posse do primeiro prefeito da cidade, o então intendente José Bauer.

Autora da lei que estabelece a homenagem pelo aniversário de emancipação, a presidente da Câmara, Natália Lúcia Petry, lembrou que um jornalista a conscientizou sobre a importância data. A conversa com o jornalista aconteceu no período em que Petry ocupou o cargo de presidência da Fundação Cultural “Logo em seguida me elegi vereadora e sugeri o projeto para que este dia fosse sempre lembrado”, conta.

Natália Lúcia Petry comentou a evolução da esfera política jaraguaense. “Passamos por diversos modelos de gestão pública como a ditadura Vargas e os anos de chumbo da ditadura militar. Com isso aprendemos muito e amadurecemos”, recordou. “O Poder Legislativo de Jaraguá do Sul busca a harmonia com os poderes executivo e judiciário, mas ao mesmo tempo preserva sua independência”, afirmou. Natália endossou o caráter participativo da Câmara de Vereadores que está sempre disponível para receber a população e perceber suas demandas.

A Fundação Cultural de Jaraguá do Sul, homenageada da noite, foi criada em 1º de abril de 1985 e tem por finalidades incentivar, difundir, promover a prática, o desenvolvimento e o zelo das atividades e patrimônios culturais e artísticos do município. São de responsabilidade da Fundação órgãos como o Arquivo Histórico Municipal “Eugênio Victor Schmöckel”, a Biblioteca Pública Municipal Rui Barbosa e o Museu Histórico Municipal “Emílio da Silva”.

A Instituição Pública visa fomentar e garantir que os jaraguaenses participem ainda mais da vida cultural e artística, criando e tendo mais acesso a livros, espetáculos de dança, teatro e circo, exposições de artes visuais e plásticas, filmes, apresentações musicais, expressões da cultura popular nacional e local, acervo de museus, arquitetura histórica, entre outros.

O atual presidente da Fundação Cultural, Sidnei Marcelo Lopes, agradeceu pela homenagem em nome da instituição e de seus ex-presidentes. “Tenho orgulho de fazer parte desta fundação porque muitas cidades catarinenses, sem nem citar em âmbito nacional, não possuem uma divisão de cultura”, declarou.

A presidente Natália Lúcia Petry e o prefeito Dieter Janssen, que também acompanhou a solenidade, entregaram placa e flores para Sidnei Lopes como representação da homenagem à Fundação Cultural pelos 30 anos de história.

Dieter Janssen lembrou o histórico de lutas para que a Fundação Cultural ganhasse mais autonomia dentro do município ao citar a aprovação do projeto de lei que separou a instituição da secretaria de educação em 2008. Segundo ele, o aumento do número de bolsas concedidas pela Fundação Cultural é uma das características que engrandecem Jaraguá do Sul culturalmente.

O prefeito reconheceu a importância de celebração dos 81 anos de emancipação política do município citando alguns índices. “Somos a 5ª economia do Estado, uma das melhores cidades para se viver no Brasil, destaque na saúde e no esporte”, destacou. “Temos ainda 82% de nosso esgoto tratado, 15% do lixo reciclado, 85 km de ciclofaixas”, complementou.

Alcides Pavanello, secretário de Desenvolvimento Regional, fez uso da palavra representando o Governo do Estado. Segundo ele, emancipação política remete a independência e autonomia. Pavanello acredita que o âmbito político necessita de homens e mulheres comprometidos com as causas públicas. “Precisamos de pessoas que busquem atender a coletividade em suas ações”, declarou.

Além da Fundação Cultural, também foram homenageados os ex-presidentes da entidade que por meio de suas gestões ajudaram a fomentar o cenário cultural de Jaraguá do Sul. São eles:

Balduino Raulino (1985 a 1988 e também de 1993 a 1996)

Ignácio Arent (1988 a 1989)

Maria Alice da Silva Reitz (1989 a 1990)

Sadi Benito Lenzi (1990 a 1993)

Silvio Celeste Bard (1997 a 2000)

Alcides da Nova Peixoto (in memoriam) (2000).

Ariovaldo Xavier dos Santos (2005)

Jean Carlo Leutprecht (2005)

Nelson Eichstaedt (2005 a 2006)

Natália Lúcia Petry (2007 – 2008)

Marilene Giese (2008)

Jorge Luiz da Silva Souza (2009 a 2012)

Leone Silva (2013 a 2014)

Sidnei Marcelo Lopes (2001 a 2003 e também atualmente)