no comments

JOSÉ OZORIO DE AVILA DEFENDE USO DE ÁLCOOL GEL EM ÔNIBUS

[img align=left]http://www.jaraguadosul.sc.leg.br/uploads/thumbs/c8d7778c-a1d8-b4e1.jpg[/img]

A Câmara de Vereadores aprovou, na sessão da última terça-feira (29), a indicação número 369/2010, que visa ao estudo de medidas para a prevenção da gripe H1N1 (gripe suína) no transporte coletivo de Jaraguá do Sul durante o inverno. O pedido, feito pelo vereador José Ozorio de Avila (DEM), sugere que a Prefeitura cobre da empresa que detém a concessão do transporte, a Canarinho, que cumpra esta determinação de higiene e promoção da saúde, mas antes analise o custo operacional e o impacto na tarifa, que, segundo o documento, não pode sofrer majoração.
A indicação pede ainda que sejam postos cartazes apontando medidas de prevenção da doença no terminal urbano, nos ônibus e nos pontos da cidade. Também sugere que os motoristas e cobradores assumam a função de passar álcool nos corrimões, bancos e puxadores de cada veículo ao final de cada viagem, pois uma das atribuições destes funcionários seria a manutenção da limpeza dos ônibus.
O documento pede, ainda, que as escotilhas (situadas no teto do veículo) fiquem abertas e que os que possuem sistema de ventilação fiquem ligados o tempo todo. “Que os ônibus que não possuírem sistema de ventilação (exaustores) fiquem permanentemente com as janelas semi-abertas”, aponta o texto.
A indicação de Avila pede que os ônibus sejam expostos ao sol em “intervalo prolongado entre as viagens ou numa troca de escala” e que haja um vidro de álcool em gel perto da catraca. O texto pede que um vídeo informativo seja veiculado nos monitores instalados em alguns veículos do transporte público. “Não adianta o governo distribuir vacinas se não há prevenção para a população no transporte público”, justificou.
O vereador Justino Pereira da Luz (PT) se manifestou favorável à indicação, mas aproveitou para alfinetar o vereador do DEM, que no ano passado votou contra projeto da bancada do Partido dos Trabalhadores que pedia a manutenção de emprego dos cobradores mesmo com a adoção do passe único, por defender que mesmo o serviço sendo uma concessão pública e contratação de funcionários é prerrogativa da empresa privada.
“Você diz que é uma obrigação dos motoristas e cobradores fazerem esse trabalho. Mas você, quando votou contra o projeto da permanência dos cobradores, disse que essa era uma decisão da empresa e que não caberia a nós intervir nisso. Então, você está entrando em contradição”, atacou Justino. Ele disse, ainda, que espera que isso não aumente o preço da passagem. José Ozorio diz que respeita a opinião democrática do colega, mas que seu foco é na saúde da população.
O vereador Ademar Possamai (DEM) saiu em defesa do colega de bancada e disse que o projeto é claro em dizer que a adoção da medida de higiene não deve causar majoração no preço da passagem de ônibus. Segundo ele, o petista tem direito de exigir a manutenção dos cobradores no transporte coletivo, mas que essa seria uma decisão da empresa.